Voz que ecoava no Vale do Becca

Atualizado: 29 de set. de 2021

Ecoava uma voz no vale do Becca séculos atrás:

- Ó Abraão! Para onde vais, deixando-nos neste vale solitário e desolado?

Não havia alguma reação do Profeta Abraão como resposta a esta voz que ecoava. Pois ele representava o cume de tawakkul e confiança em Deus. Ele só cumpria o que lhe foi dito e não quis comprometer a obediência à ordem. Esta foi uma direção divina; Assim seria lançada a fundação da cidade que seria homenageada pelo Último Nabi (Mensageiro), que foi prometido que viria séculos depois.


Por outro lado, Agar sentia um medo maior em cada passo do marido que o afastava dela. Por isso, voltou a gritar com voz apressada, sentindo a dor da solidão profundamente:


- Ó Abraão! Para onde você está indo, deixando-nos neste vale solitário e desolado?

Era inútil correr atrás dele com seu filho nos braços. Tudo indicava que, não haveria resposta do Abraão que já estava no caminho de volta. Até parece uma outra pessoa tinha tomado o lugar do Abraão que há anos desejava ter filhos e pedia isso para seu Senhor em suas orações. Sem dúvida, tal mudança radical só poderia ter ocorrido como resultado de uma orientação divina. Para saber isso, Agar perguntou:

“Foi Deus que ordenou você fizesse isso?”

Abraão que não reagia até este momento respondeu esta pergunta com uma voz confiante.

- Sim!

Como Ele quem comanda, seria Ele quem protegeria. Uma vez sob Sua proteção, nem a brutalidade desses vales misteriosos e solitários, nem a terrível solidão, nem a falta da proteção de um chefe da família poderiam assustá-los. É por isso que, ao se virar de costas com seu bebê nos braços, seguintes palavras saem de lábios da Agar:


-Então, Ele nunca vai nos desperdiçar!


Essa frase seria a última do diálogo entre o chefe da família e os demais membros. Abraão já tinha se afastado e Agar havia retornado ao local onde haviam sido deixados com seu filho Ismael.



As Súplicas do Profeta Abraão

Após caminhar até um ponto de se desaparecer no horizonte Profeta Abraão parou e começou a fazer seguintes pedidos a Deus virando para o vale.

“Ó Senhor nosso! Eu fiz habitar parte da minha descendência (Ismael e seus descendentes) em um vale inculto perto de Tua Casa Sagrada,


Como pode ser claramente entendido pela expressão 'Eu habitei’, ele afirmou que este vale, que ainda não tinha nenhum sinal de vida, se tornaria a uma grande cidade. No mesmo tempo este local era o vale Becca onde foi construído o primeiro edifício na terra; e assim o primeiro e o último (Profeta) se encontrariam aqui.


Profeta Abraão continuou a sua oração com seguintes palavras:

Ó Senhor nosso! Fiz isso para que eles possam cumprir a oração conforme requisitado.

Pelo que entendido destas palavras o principal objetivo de levar sua família a vale do Becca era o dever de servidão. Uma servidão que aproximará as pessoas de Deus. E a pessoa que representaria a servidão no seu auge, ou seja, a praticaria na melhor forma, ia surgir neste vale.


E Profeta Abraão tinha mais um pedido:

Nosso Senhor! Por isso, faz que os corações das pessoas se inclinem em relação a eles, e proporciona-lhes o produto de terra (por meio de medidas como o comércio), de modo que eles possam dar graças (constantemente com o coração, na fala e na ação, cumprindo Vossos mandamentos) 1


Profeta Abraão declarava que havia cumprido seu dever nas suas súplicas, e solicitava o atendimento aos seus pedidos por Deus. Porque ele ainda ouvia os ecos da voz que dava boas novas quando sua esposa ficou engravida:



- Sem dúvida, Agar dará à luz um filho, e um descendente da criança que ela dará à luz governará a toda humanidade. E as mãos de todos serão estendidas para este descendente em temor e obediência.2


Para Profeta Abraão, não poderia haver uma felicidade maior que isso; ele estava sendo recompensado por ter esperado anos sem perder a esperança. Além disso, uma recompensa que não se limitava somente ao nascimento de seu filho e sim abrangia o fato do surgimento do Último Mensageiro entre seus descendentes e união da humanidade ao redor deste Profeta ...

Enquanto ele invocava, foram revelados os seguintes ao Profeta Abraão:


- E a respeito de Ismael atendo a teu pedido: Eu o abençoarei e tornarei fecundo e extremamente numeroso. Será pai de doze chefes, e dele farei líder de uma grande nação! 3

Ao deixar sua família neste vale o Profeta Abraão justamente agia para cumprir a orientação divina tinha recebido sobre seu filho Ismael.


Construindo Uma Nova Civilização

Enquanto isso, Agar, sendo uma mulher sozinha no vale, estava preocupada com seu filho. Corria para todos os lados em busca de um gole de água para beber. A única coisa que acalmava a mãe do Ismael era sua confiança em seu Senhor. Talvez ela tenha lembrado as palavras do anjo quando estava gravida e assim se consolava. Pois, um dia quando ela estava aflita, apresentou seus problemas ao seu Senhor, apareceu um anjo e disse a ela:


- Não se preocupe e não tenha medo! Porque, Deus está desejando o bem da terra, através do seu filho que carrega na sua barriga.


O anjo sussurrou no ouvido dela para chamar seu filho de 'Ismael' e acrescentou:

- A criança que vai nascer será uma pessoa única e nele será a esperança de toda a humanidade. Sua mão estará acima de tudo, ele governará tudo, e a mão de todos estará com ele. Cada um se conformara de acordo com suas ordens e diretrizes. Ao mesmo tempo, ele possuirá a terra de todos os seus irmãos. 4


Estas palavras foram paralelas com as que foram ditas ao seu marido, Profeta Abraão.

Embora ela confiasse na boa nova que anjo tinha dado, precisava observar das razões. Para isso, Agar, com o desejo de encontrar um gole de água ou uma alma viva, começou uma busca apressada entre as duas colinas, Safa e Marwah. Porque a água no odre havia acabado e a compassiva mãe Agar tinha começado a temer pela vida do filho e entrar em pânico. Enquanto percorrendo entre dois pontos, ela olhava para seu filho constantemente, com medo de que algo acontecesse com ele.


A extensão entre Safa e Marwah tinha se tornado uma rota para Agar. Quando descia de uma colina, ela acelerava a caminhada e tentava alcançar a outra colina com mais pressa. Essa corrida frenética se repetiria sete vezes.


Quando Agar tinha alcançado ao topo de Marwah, foi surpreendida por uma voz. Como se fosse alguém a chamando para seu filho. Novamente ela prestou atenção e tentou escutar bem. Sim, ela não estava enganada; Um anjo estava ao lado de seu único filhote. Ela olhou mais uma vez e não podia acreditar no que viu; Havia também uma nascente aos pés de seu filho Ismael, e brotava água no meio do deserto.


Ela veio correndo para seu filho imediatamente, e ouviu o anjo dizer a ela:

- Não se preocupe, não será desperdiçada! Porque aqui está situada a casa de Deus. Este menino e seu pai irão construí-lo. Deus nunca desperdiça seu povo ... 5

Quando a tarefa foi concluída, o anjo também desapareceu deixando Agar e seu bebê Ismael sozinhos.


A água, que sempre foi uma fonte de vida em todas as épocas, atrairia outras pessoas para cá, e assim começaria uma habitação que estava determinada pelo programa do destino. Assim seriam lançadas as bases da cidade onde surgiria o Mensageiro Esperado. Porque, logo depois, o povo de Jurhum iriam se mudar para cá com a permissão de Agar. Assim iriam ficar e começar a construir a cidade de Meca.


Uma nova vida estava começando entre as montanhas de Farão, onde o Mensageiro de Deus surgiria, com quem a humanidade encontraria vida(espiritualmente). Enquanto o deserto, ao qual Zamzam deu vida, agora se tornará a uma cidade fértil e atrairá pessoas com sua abundância. E este processo seria iniciado e resultaria no Profeta Muhammad (sallallahu 'alayhi wa sallam).


A Oração de Abraão tinha aceita, e este vale inculto se tornou verde e começou a atrair pessoas. Este favor também asseguraria que todos os tipos de bênçãos seriam derramados aqui, e as pessoas que moravam aqui experimentariam a graça constante.


Ao passar do tempo Ismael também havia crescido e vivia sua adolescência. Casou-se com uma jovem de Jurhum e essa união que começou com Zamzam se fortaleceu com o estabelecimento de laços de parentesco e formou uma base sólida para o futuro.


Durante este tempo, O Profeta Abraão visitava Agar e Ismael e, passava algum tempo com eles e voltava.


Numa das visitas destas Profeta Abraão não estava vindo para voltar imediatamente, mas para ficar lá por muito tempo e construir a Caaba. Isto era o desejo Divino e ele estava a caminho de Meca para atender a esse pedido.


Não passando muito tempo Profeta Abraão e seu filho Ismael começaram a construir. Assim mais uma vez iriam convidar a humanidade para uma fonte divina indispensável. Por um lado continuavam construindo a Caaba, por outro, abriam as mãos e oravam ao Senhor neste lugar sagrado:


- Ó Senhor nosso! Aceita (este serviço) de nós. Certamente Tu és Quem ouve tudo, o Sapientíssimo.”


Ó Senhor nosso! Faz-nos muçulmanos (Eu e Ismael), submisso a Ti, e aos nossos descendentes, uma comunidade muçulmana, submissa a Ti. Mostre-nos os nossos ritos de culto (incluindo especialmente os ritos da peregrinação), e aceita nosso arrependimento (que a nossa incapacidade de adorá-Lo como a adoração exige). Certamente Tu és Aquele que aceita o arrependimento e o devolve com indulgência liberal, o Misericordioso


É óbvio que, essas orações dos dois gloriosos profetas em um lugar abençoado, do lado do primeiro edifício terrestre, que uma projeção do Trono na terra, seriam atendidas. Percebendo alta possibilidade de orações serem aceitas naquele estado, Profeta Abraão citaria o Último Mensageiro, que será enviado não apenas em uma região, mas em todo o mundo, até o Dia do Juízo. Pois ele completaria a missão do Hillet do Profeta Abraão. Ele invocaria assim o seguinte:

Ó Senhor nosso! Faz surgir, dentre essa comunidade, um Mensageiro deles mesmos, que lhes recita as Tuas revelações e lhes ensine o Livro (que irás revelar a ele) e Sabedoria, e os purificará (de falsas crenças e doutrinas, de pecados e todos os tipos de impureza). Certamente Tu és o Glorioso, com poder irresistível, o Prudentíssimo 6


O Mensageiro com sabedoria que Profeta Abraão (que a paz esteja com ele) pedia surgimento dele nesta oração, sem dúvida, é o Último Profeta; Muhammad (que a paz e benção Deus estejam com ele). Porque entre os descendentes de Profeta Ismail, não teve outro profeta além de Muhammad e nunca haverá.


Era muito valiosa esta oração sincera perante de Deus. Na verdade, um dia, séculos depois desta oração, o Mensageiro de Allah diria o seguinte em agradecimento:


“Eu sou a súplica do meu ancestral Abraão, boa-nova do meu irmão Jesus e sonho da minha mãe” 7


Mais uma vez aprendemos retribuir a gratidão pelo mestre da gratidão. Como orientado pelo Profeta Muhammad, sendo um gesto de agradecimento ao Profeta Abraão que pediu a chegada do Mensageiro de Allah séculos atras nas suas orações, muçulmanos enviam benções e saudações a ele nas orações diárias dizendo;

Ó Allah, envie sua graça, honra, misericórdia e suas benções sobre Muhammad e sobre a família de Muhammad, como Você enviou Sua graça, honra, misericórdia e suas benções para Abraão, Você é realmente Louvável, Muito Glorioso.


Havia exemplos da gratidão na linguagem Abraâmica também. Porque, Profeta Abraão sabia muito bem da chegada do Profeta Muhammad e repassava os favores e saudações a ele afirmando quem os merecia mais é o ‘Sultão Esperado’


Allah (que sua glória seja glorificada), Tinha provado O Profeta Abraão, que passou por diferentes testes e cumpriu devidamente seu dever em cada um deles. Ele elogiou Abraão da seguinte maneira:


“Na verdade eu te farei imam (líder) de todos os povos.”


Isso foi um grande favor divino, em troca, foi necessário responder com gratidão e humildade. Ao mesmo tempo, este foi um importante indicador de gratidão por tal bênção. Primeira reação do Profeta Abraão foi:


Ele (Abraão) confessou:

“(Nomearás imams (líderes)) também os meus descendentes?”

Isso era um reflexo que precisava ser apresentado. Foi também uma indicação de que tipo de informação o subconsciente dele foi alimentado. Afinal, a verdadeira intenção dos homens é revelada em tais situações surpreendentes.


Contudo; Allah (que sua glória seja glorificada) queria expressar que uma questão tão importante como o imamat (liderança) não seria dada a pessoas que consentiram na perseguição e especialmente àqueles que desdenharam como os israelitas daquela época:

(Seu Senhor) respondeu:


“(Vou nomear dentre eles a quem merece. Mas) a minha promessa não inclui os malfeitores.” 8

Com tal expressão, os olhares foram direcionados para os próximos séculos ou seja para um período mais longo, ao invés de procurar um imam em breve.


Assim, além de enfatizar que a opressão e a Risala (missão profética) nunca podem ser reconciliadas, os israelitas perderam essa honra devido à perseguição e infidelidade. E assim foi declarado que essa honra doravante pertencerá a descendente do seu filho Ismael, quem Profeta Abraão havia deixado no vale do deserto.


Autor: Dr. Resit Haylamaz


1 Surata Ibrahim, 14/37

2 İbn Keçîr, al-Bidâya wa’n-Nihâya, 1/153

3 İbn Keçîr al-Bidâya wa’n-Nihâya, 1/153

4 İbn Keçîr, al-Bidâya wa’n-Nihâya, 1/153

5 Taberî, el-jâmiu’l-Bayan, 13/230

6 Surata Al. Bácara, 2/129 vd.

7 İbn Hibbân, Sahîh, 14/313; Háqim, Mustadrak, 2/453 (3566)

8 Surata. Bácara, 2/124

7 visualizações